Notícias

Os projetos (reais ou imaginários) para o Rio do arquiteto Indio da Costa

Apaixonado pela cidade, ele faz 50 anos de carreira

Por Josy Fischberg

O arquiteto Indio da Costa em seu escritório, no Humaitá – Ana Branco / Agência O Globo

 

RIO – A fachada da casa na Rua Pinheiro Guimarães, entre Botafogo e Humaitá, é bastante discreta. Apenas o logotipo no alto da construção, desenhado a partir de uma combinação das letras “i” e “c”, de Indio da Costa, sugere vagamente o que funciona ali dentro. Poucos cariocas imaginam, mas daquele escritório de arquitetura já saíram ideias que efetivamente transformaram — ou ainda estão transformando — certas áreas do Rio de Janeiro. Muitas outras não chegaram a se concretizar, mas dão a dimensão de como o responsável por elas é um sujeito apaixonado pela cidade. O arquiteto Luiz Eduardo Indio da Costa já sonhou até em ver os morros da Zona Sul interligados a partir de bondinhos, tendo como ponto de partida o Pão de Açúcar.

Hoje, aos 77 anos de idade e 50 de carreira, é ele o responsável pela integração do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) às ruas do Centro, por duas grandes estações do BRT, além da parceria com um escritório internacional no Museu da Imagem e do Som (MIS), citando apenas alguns dos projetos que estão em andamento.

— Quando resolvi fazer arquitetura, nos anos 1950, era uma profissão marginal. É claro que havia Oscar Niemeyer já como expoente, mas ele era praticamente o único — explica o arquiteto. — Eu, que vinha de uma família de advogados, devo ter chocado as pessoas em volta com a minha decisão. Gostava de cinema, música, pintura, achei que era lógico não seguir uma carreira de terno e gravata.

A confirmação de que aquele era realmente o caminho certo veio dentro da Catedral de Notre-Dame, em Paris:

— Existe uma alquimia na arquitetura. Numa catedral gótica, isso fica ainda mais evidente. Quando você “desmonta” aquele cenário, percebe que ele é, na verdade, um monte de areia, pedra, vidros… É fantástico que a partir disso erga-se uma construção grandiosa.

Indio da Costa costuma dizer, em tom de brincadeira, que desde então vem tentando fazer a sua própria catedral, mas que ainda não conseguiu. De todo modo, ele já deixou sua marca no Rio com projetos como o Rio Cidade Leblon. Inaugurada em 1996, a obra modificou uma área de cem mil metros quadrados no bairro, priorizando a iluminação para pedestres com postes baixos, modificando paisagem e mobiliário urbano.

— Foi um trabalho feito com a comunidade. Eu tinha um arquiteto de plantão que atendia todos os moradores. E foi o primeiro projeto que fiz em parceria com o Guto, meu filho — explica.

O arquiteto se refere ao designer Luis Augusto Indio da Costa, que, após ter concluído os estudos fora do Brasil, voltou para trabalhar com o pai no escritório. Quase 20 anos depois do Rio Cidade, os dois novamente assinam um outro projeto tão importante quanto ele.

PUBLICIDADE
— O Guto está fazendo as paradas do VLT, e eu faço a inserção urbanística dessas paradas no Centro. Precisa compatibilizar calçadas, postes, meio-fio…

 

Projeto da Marina da Glória, que foi interrompido – Divulgação

 

Para o arquiteto e urbanista Luiz Fernando Janot, Indio da Costa sempre busca incorporar inovações tecnológicas aos seus projetos. O Rio Cidade Leblon, ele aponta, é dos poucos que conseguem manter suas características originais:

— Foram usados materiais de altíssima qualidade, que estão lá até hoje. O Rio Cidade Leblon é uma das grandes obras do Indio da Costa e da cidade.

Para cada projeto executado, Indio da Costa explica que há muitos que não saem do papel. Um deles, por exemplo, previa que os bondinhos do Pão de Açúcar passassem por dentro da própria pedra.

— Fomos contratados pela Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, ainda nos anos 1990, para fazer este projeto e pensamos em substituir as estações de acesso por reentrâncias na rocha — conta.

A partir do mesmo Pão de Açúcar, surgiu outro grande desejo, chamado Rio Panorâmico, desenvolvido para a mostra “Penso cidade”, que reuniu projetos, ideias e estudos polêmicos sobre o planejamento urbano carioca. A proposta era criar dois circuitos independentes de teleféricos: um na Zona Sul, partindo da Praia Vermelha; e outro que percorreria a Zona Norte, a partir do Itanhangá.

— Ao contrário do que muita gente pensa, não seria um projeto complexo. Imagine que no início do século XX os bondinhos do Pão de Açúcar foram instalados. Estamos em 2015, não há nenhum desafio tecnológico especial — analisa.

Outros dois projetos mais recentes que poderiam mudar radicalmente paisagens importantes da cidade ainda são lembrados pelo arquiteto. O primeiro é o da Marina da Glória, com paisagismo de Haru Ono. O outro é a highline na Avenida Presidente Vargas.

— A highline ainda pode sair do papel. Quando fui convidado para fazer duas estações do BRT, na Francisco Bicalho e na Presidente Vargas, imaginamos uma elevação da cobertura deste segundo local, para fazer uma grande praça linear. As pessoas subiriam até essa praça e dali desceriam para a estação. Não começamos porque havia a preocupação de que o projeto todo não ficasse pronto até as Olimpíadas. Mas, depois, ele ainda poderá ser retomado.

 

A partir do alto, highline na Avenida Presidente Vargas, que seria feita em cima da estação do BRT – Divulgação

 

Com tantos projetos, o dia a dia de Indio da Costa é intenso. Chega ao escritório todos os dias às 9h, vai embora às 19h. Duas a três vezes por semana, passa pelas obras. Se ele tira férias?

— Eu me sinto eternamente de férias — diz, rindo. — Trabalho em algo de que gosto tanto que nem parece trabalho.

 

Festa de Entrega do I Prêmio ASBEA/RJ

Festa de entrega do I Prêmio ASBEA/RJ
Em dezembro foi realizada, no Clube dos Marimbás, junto às areias da Praia de Copacabana, a Festa de Entrega do I Prêmio ASBEA/RJ. Lá estiveram Arquitetos de inúmeros escritórios associados, representantes das empresas afiliadas, construtoras, jornalistas, patrocinadores, representantes do CAU/RJ, da ADEMI, do IAB/RJ, da Prefeitura do Rio de Janeiro, do Consulado dos Estados Unidos, clientes especiais dos escritórios associados e o Presidente da ASBEA Nacional, Eduardo Nardelli
Durante a Festa foram conhecidos os vencedores de 10 categorias do I Prêmio ASBEA/RJ: Cité, Bernardes, Sérgio Conde Caldas, RAF, Pontual, Ivan Rezende, Duda Porto, Landscape e Índio da Costa.
Projetos dos escritórios Gisele Taranto, Larq-Turano, Ruy Rezende, Casa 3, Melo & Passos, Miguel Pinto Guimarães, Ernani Freire, Mais Dois, Sérgio Conde Caldas, RAF e Bernardes receberam menções honrosas, devido à qualidade apresentada.
Índio da Costa AUDT foi o grande ganhador da noite. Recebeu o Prêmio Especial Sérgio Bernardes, em função da importância do conjunto de sua obra para o desenvolvimento, valorização e representação da profissão.
A curadoria do Prêmio ficou a cargo de Renato Camargo, titular da Souza Camargo e Conselheiro da ASBEA/RJ.
Compuseram o Júri, além de Vicente Giffoni, Presidente da ASBEA/RJ; Sydnei Menezes, Presidente do CAU/RJ; Paulo Vidal, Diretor Geral do INEPAC; e Carlos Eduardo Ferreira Nunes, Diretor Nacional da ABEA – Associação Brasileira de Ensino da Arquitetura e Urbanismo.
A Festa de Entrega do I Prêmio ASBEA/RJ contou com show de Bossa Nova e buffet do chef francês Frederic Monnier.
Durante a Festa foi sorteado um misturador Fabrimar, cujo design foi assinado por Guto Índio da Costa. O sortudo ganhador foi Bruno Fernandes, titular da Archi 5
O Arquiteto Edison Musa foi homenageado, aos seus 80 anos de idade, pelo conjunto de sua obra arquitetônica.
O próximo Newsletter ASBEA/RJ apresentará imagens dos projetos vencedores do I Prêmio ASBEA/RJ e daqueles que receberam menções honrosas.
Ana Cláudia Roig foi a organizadora do I Prêmio ASBEA/RJ.
Seguem fotos do I Prêmio ASBEA/RJ:
 *Fotos de Cristina Lacerda

Patrocínio Master:
Patrocínio Júnior:
Apoio:

Projetos que receberam o I Prêmio ASBEA/RJ e Menções Honrosas

EDIFÍCIOS MULTIFAMILIARES

PRÊMIO
Escritório: Cité Arquitetura
Projeto: Edifício Mirador

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Gisele Taranto Arquitetura
Projeto: Edifício Rêve Leblon

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Sérgio Conde Caldas Arquitetura
Projeto: Edifício Sacopã

RESIDÊNCIAS UNIFAMILIARES

PRÊMIO
Escritório: Bernardes Arquitetura
Projeto: Casa Delta

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Gisele Taranto Arquitetura
Projeto: Residência Brise

MENÇÃO HONROSA
Escritório: RAF Arquitetura
Projeto: Portobello II

EDIFÍCIOS COMERCIAIS

PRÊMIO
Escritório: Sérgio Conde Caldas Arquitetura
Projeto: Vogue Square

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Larq Turano Arquitetura
Projeto: Condomínio Estrada dos Três Rios

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Larq Turano Arquitetura
Projeto: Metropolis

HOTELARIA

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Bernardes Arquitetura
Projeto: Hotel José Ignacio

EDIFÍCIOS INSTITUCIONAIS

PRÊMIO
Escritório: RAF Arquitetura
Projeto: Hospital Unimed Barra

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Bernardes Arquitetura
Projeto: Cidade do Cinema

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Ruy Rezende Arquitetura (RRA)
Projeto: BR Distribuidora

EDIFÍCIOS DE SERVIÇOS

PRÊMIO
Escritório: Pontual Arquitetura
Projeto: Porto Brasilis

MENÇÃO HONROSA
Escritório: RAF Arquitetura
Projeto: Abengoa

EDIFÍCIOS INDUSTRIAIS

MENÇÃO HONROSA
Escritório: RAF Arquitetura
Projeto: Brasdril

ARQUITETURA CORPORATIVA

PRÊMIO
Escritório: Ivan Rezende Arquitetura
Projeto: Novo Ambiente Ipanema

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Casa 3
Projeto: Varco

INTERIORES

PRÊMIO
Escritório: Duda Porto Arquitetura
Projeto: Casa de Fim de Semana

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Bernardes Arquitetura
Projeto: Restaurante Gurumê

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Gisele Taranto Arquitetura
Projeto: Edifício Rêve Leblon

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Ricardo Melo & Rodrigo Passos
Projeto: X.O. Wine Bar

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Miguel Pinto Guimarães Arquitetura
Projeto: Restaurante Uniko

RESTAURO

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Cité Arquitetura
Projeto: Gamboa Offices

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Ernani Freire Arquitetura
Projeto: Galeria de Arte Mercado

PAISAGISMO

PRÊMIO
Escritório: Landscape Arquitetura
Projeto: Casa Jor

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Mais Dois Arquitetura
Projeto: Parque Infantil do Jockey Clube do Brasil

URBANISMO

MENÇÃO HONROSA
Escritório: Sérgio Conde Caldas Arquitetura
Projeto: Marabá

PROJETOS ESPECIAIS

PRÊMIO
Escritório: Indio da Costa
Projeto: Marina da Gloria

MENÇÃO HONROSA
Escritório: RAF Arquitetura
Projeto: Estação Ferroviária Central do Brasil

PRÊMIO SÉRGIO BERNARDES
Arquiteto Indio da Costa

Página 10 de 175« Primeira...89101112...203040...Última »